Blog

Deep Learning é tecnologia de aprendizado de máquina que mais cresce em todo o mundo

Nos últimos anos, a Inteligência Artificial vem ganhando importância e gerando expectativas cada vez maiores, a partir do uso inédito em 2012, em uma conhecida competição de Visão por Computador denominada ImageNet, de uma técnica de inteligência artificial denominada Deep Learning (DL). Deep Learning é uma tecnologia disruptiva de aprendizado de máquina com alto desempenho na resolução de problemas complexos e flexibilidade de aplicação de seus algoritmos. Dentre as principais aplicações estão o reconhecimento de imagens, voz e texto; a previsão de eventos e desenvolvimento de sistemas de recomendação, por exemplo para tornar a experiência do cliente única; e a detecção de anomalias, por exemplo para detecção de fraudes.

O Deep Learning apresenta enormes vantagens na comparação com técnicas clássicas de aprendizagem de máquina e, inclusive, supera o desempenho humano em problemas que envolvam a análise de grandes volumes de dados não estruturados. Gigantes como Google, Microsoft e Facebook estão apostando todas as suas fichas em Deep Learning, e a previsão é que esse mercado seja de quase 2 bilhões de dólares em cinco anos. No Brasil, no entanto, ainda são pouquíssimas as empresas que utilizam Deep Learning.

Leia também:
Como o Google está avançando no uso de Deep Learning
Ciência de Dados é considerada a profissão mais promissora até 2020
Você sabe a diferença entre Machine Learning e Deep Learning?

Com o objetivo de acelerar a adoção do Deep Learning no Brasil, Roberto Lotufo, Professor Titular aposentado e pesquisador colaborador da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade de Campinas (FEEC – Unicamp), ex-Diretor da Agência de Inovação da Universidade e pioneiro na oferta de cursos de extensão em Deep Learning, criou a empresa NeuralMind, em parceria com Patricia Magalhães de Toledo, engenheira de produção com grande experiência em gestão da inovação, que também dirigiu a Agência de Inovação da Unicamp. “Esta é uma área que está revolucionando vários setores. Com o Deep Learning, o computador consegue interpretar uma imagem melhor que o ser humano, consegue reconhecimento de voz e processamento de texto em uma escala antes impensável. No Brasil, no entanto, ainda existe muita confusão entre sistemas especialistas, aprendizado de máquina e deep learning, com poucas pessoas conseguindo distinguir as diferenças”, comenta Lotufo.

Nesse contexto, a NeuralMind reúne especialistas em inteligência artificial dedicados a desenvolver e implementar soluções para diversos tipos de organizações, o que envolve, dentre outras atividades, a oferta de cursos. Nos dias 7 e 21 de outubro e 4 de novembro, em São Paulo – na Chácara Santo Antônio, por meio de parceria com a Spread Tecnologia e Genova Empreendedorismo –, será oferecido o curso “Deep Learning na Prática”, com carga horária total de 24 horas e aulas aos sábados, das 9 às 18 horas. Os objetivos são avançar na compreensão dos fundamentos do Deep Learning e projetar e treinar redes neurais convolucionais através do desenvolvimento de aplicações escritas em Python. Como é um curso no nível Avançado, o público-alvo é formado por desenvolvedores de aplicações graduados em Engenharia, Ciências da Computação e Ciência de Dados. “Queremos que os participantes sejam capazes de desenvolver aplicações reais. Eu sempre uso esses dois ingredientes, teoria e prática, juntos nos meus cursos. Assim, os conceitos teóricos são assimilados através da programação e da realização de experimentos práticos”, descreve Roberto Lotufo.

Outro diferencial é a qualificação do corpo docente. Além de Roberto Lotufo – que também é pesquisador do Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia (BRAINN Fapesp) –, estão na equipe responsável pelo conteúdo Rodrigo Nogueira, atualmente fazendo o doutorado na New York University, nos Estados Unidos, e Rubens C. Machado, pesquisador aposentado do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer com experiência em redes neurais desde a década de 1980. Os três venceram, em 2015, a competição internacional de detecção de vivacidade em fingerprint LivDet, com solução utilizando deep learning. Além deles, participa Yugo Kuno, doutorando em Engenharia Elétrica na Unicamp e Erick Seolin, graduado em Engenharia Elétrica pela Unicamp.

“Eu acredito que somos os únicos a oferecer de forma presencial e regular cursos teórico-práticos de deep learning no Brasil. Existem cursos online gratuitos, mas entendemos que nossos cursos presenciais permitem melhor acompanhamento e entendimento do participante, além da oportunidade prática de acompanhamento no desenvolvimento de um projeto e treinamento de uma rede neural profunda para problemas reais. Nós procuramos acompanhar o estado da arte em Deep Learning e oferecermos no Brasil a mesma qualidade de cursos internacionais”, conclui Lotufo.

Mais informações sobre o curso, inclusive programa e procedimentos para inscrição, estão no site da NeuralMind, em neuralmind.ai. Lá também estão dois outros cursos que serão ofertados ainda em 2017: “Compreendendo o Deep Learning”, nível Iniciante, com 8 horas de duração, em Campinas, no dia 14 de outubro; e “Deep Learning Acelerado”, nível Intermediário, com 24 horas, também em Campinas, nos dias 30/11 e 1 e 2/12. Também haverá nova oferta do “Deep Learning na Prática” em Campinas, em novembro e dezembro. Confira em http://neuralmind.ai/cursos/.

Nenhum comentário

Postar comentário

3 × um =