Blog

O futuro será automatizado: como ganhar com isso?

Estudo estima crescimento adicional de 1,2% ao ano no PIB mundial, até 2030, com o avanço no uso de Inteligência Artificial

Com o desenvolvimento tecnológico e campos cada vez mais amplos de atuação, só crescem as possibilidades de aplicação de Inteligência Artificial nos negócios. Aqui mesmo já mostramos algumas delas, como: educação, medicina, mercado financeiro, entre tantas outras existentes.

Visão computacional, linguagem natural, assistente virtual, automação de processos robóticos e técnicas avançadas em Machine Learning são cinco macrocampos bastante conhecidos em Inteligência Artificial e que têm resultado em processos facilitados, melhora de serviços e transformação radical de produtos no mercado. Os impactos disso? A economia é uma das primeiras a sentir. E ao olhar para frente, as perspectivas são bastante positivas.

De acordo com pesquisa[1] realizada pelo McKinsey Global Institute, a adoção de técnicas de Inteligência Artificial deve acrescentar US$ 13 trilhões à economia global até 2030. Estima-se que, nesse mesmo período, em torno de 70% das empresas adotem ao menos um tipo aplicação em Inteligência Artificial – podendo isso ocorrer em diferentes níveis de absorção da tecnologia: algumas mais, outras menos.

Essa diferença, por sua vez, muito tem a ver com os desafios com os quais a indústria irá se deparar durante esse processo, desde tecnológicos até demanda por mão de obra qualificada.

O alerta fica para que essa transformação dos negócios ocorra o quanto antes, uma vez que, quanto mais tardar a aplicação de Inteligência Artificial, menores serão os impactos sentidos por essas empresas em termos de vantagem competitiva. É como em uma corrida, os que primeiro atravessarem os desafios desse caminho, antes aproveitarão os ganhos do pioneirismo.

Como o próprio relatório do Mackinsey Global Institute prevê, os impactos da Inteligência Artificial não serão lineares. Contudo, vão acumular um ritmo acelerado ao longo do tempo.

O crescimento, segundo o documento, pode chegar a ser três vezes maior até 2030 do que o que será observado nos próximos cinco anos. Em termos de padrão gráfico, esse crescimento se assemelha a uma “curva S”: um crescimento lento devido aos custos substanciais relacionados a aprendizado e implementação; seguido por uma aceleração impulsionada pelo efeito acumulado e melhoria dos processos.

O mundo e seus contrastes

Nesse sentido, mais do que a concorrência entre as empresas, evidenciam-se também as disparidades em desenvolvimento tecnológico existentes entre os próprios países.

De acordo com o relatório do McKinsey Global Institute, os países considerados líderes nas aplicações de Inteligência Artificial – em sua maioria, os países considerados desenvolvidos – tendem a se manter à frente e conquistar de 20% a 25% mais em benefícios econômicos do que os países em desenvolvimento. Esses, por sua vez, devem ficar com algo em torno de 5% a 15%.

O documento destaca ainda que até mesmo o valor dos salários pagos nos países é um dos motores dessa busca mais urgente pelas aplicações em Inteligência Artificial. Com salários mais altos e competitivos, países desenvolvidos tendem a acelerar a substituição de mão de obra humana por máquinas, a fim de baratear seus custos. O que nem sempre é aplicável aos países em desenvolvimento, onde os desafios tecnológicos para aplicação são grandes e os salários pagos pela mão de obra, comparativamente, são menores.

Empresas e inovações

Países de primeiro mundo ou não, o uso da Inteligência Artificial é um caminho sem volta. Da análise automática de documentos ao uso de sistemas inteligentes e autônomos mais robustos, como para a identificação de fraudes, as possibilidades são diversas. Cabe às empresas compreenderem que essas não são apenas possibilidades, mas sim necessidades para que possam se manter à frente em seus mercados. É inegável que acompanhar tendências que gerem ganhos em eficiência e produtividade, a partir de inovações, cria empresas mais sólidas, competitivas e, potencialmente, disruptivas.

Para ganhar com esse processo, só mesmo transformando negócios, desde já, com o uso de Inteligência Artificial.

 

[1]Notes from the AI frontier: Modeling the impact of AI on the world economy. https://mck.co/2P3aRrn

Nenhum comentário

Postar comentário

17 + quatro =